O botox® e a enxaqueca

By Aline Turbino 4 anos ago
Home  /  Dor de cabeça  /  O botox® e a enxaqueca

Em 2010 a Food and Drug Administration (FDA) nos USA aprovou o uso de Botox ou onabotulinumtoxin A, para o tratamento da enxaqueca crônica, uma condição médica que afeta cerca de 3,2 milhões de americanos.

1. Como deve ser minha dor para poder usar a toxina botulinica?

Os pacientes que sofrem enxaqueca por mais de 15 dias no mês por pelo menos 3 meses. Os dias de dor devem ser contados independente da intensidade das mesmas.

2. Botox é uma toxina?

Botox é uma toxina, mas não é venenoso. A FDA forneceu total aprovação para o produto a ser utilizado para tratar a enxaqueca crônica.
A toxina botulinica é derivado da toxina bacteriana que causa o botulismo, mas é considerado seguro nas doses fornecidas pelos médicos. Muitos outros medicamentos também são consideradas toxinas e também são perigosos, quando utilizados na dosagem errada.

3. Como o tratamento com toxina botulinica funciona?

Quando injetado nos músculos da cabeça, face, occipital e ombros, a toxina bloqueia algumas reações neuroquimicas nas terminações nervosas que iniciam a cascata inflamatória que desencadeiam a dor da enxaqueca.
A eficácia do fármaco é observada cerca de uma semana após a aplicação, com pico de ação em cerca de seis semanas e a seguir o desvanecimento dentro de cerca de três meses.
Embora a maioria dos pacientes observe uma diferença no alívio das dores já na primeira aplicação, o melhor resultado pode ser sentido após a segundo ou terceiro ciclo.

4. O que o tratamento envolve?

O tratamento completo com a toxina botulínica para enxaqueca crônica exige uma série de pequenas injeções em áreas na cabeça, face, occipital e ombros. Um total de 31 injeções são necessárias e causam pouco desconforto. A aplicação pode ser repetida a cada três meses.

5. Quais são os possíveis efeitos colaterais?

Quando realizada por neurologista qualificado, as injeções em geral são seguras. Contudo, podem ocorrer alguns efeitos colaterais.Cerca de 9% dos pacientes nos ensaios clínicos relataram ter dor de garganta temporária, e outras reações adversas que podem incluir dor no local da injeção, inchaço temporário ou vermelhidão, e em casos extremos fraqueza muscular e dificuldade para engolir.

– As mulheres que estão grávidas ou amamentando não devem usar essa medicação.

Categories:
  Dor de cabeça, Tratamentos