Cefaleia por uso excessivo de medicações

Home  /  Cefaleia por uso excessivo de medicações

Quando seu remédio de enxaqueca faz mais mal do que bem?

Quando usado adequadamente, os medicamentos podem melhorar drasticamente a qualidade de vida das pessoas com enxaqueca. No entanto, o uso freqüente de alguns medicamentos pode, piorar a freqüência e a intensidade da dor de cabeça, criando um ciclo vicioso: suas dores de cabeça pioram, então você toma mais medicamentos, o que pode levar a mais dores de cabeça.

Existem dois principais tipos de medicação utilizados para o manejo da enxaqueca: medicamentos abortivos que impedem a dor de cabeça no momento da crise e medicamentos preventivos tomados diariamente para reduzir a ocorrência de dores de cabeça. Apenas os medicamentos abortivos são responsáveis ​​pela dor de cabeça por excesso de medicação. 

O que os médicos entendem por uso excessivo de medicação?

A dor de cabeça por uso excessivo de medicamentos (MOH) é uma dor de cabeça nova, ou o agravamento de uma dor de cabeça existente, em pacientes com distúrbio de dor de cabeça pré-existente como a enxaqueca que é causada por tomar uma medicação de dor abortiva com muita freqüência. “Excesso” é definido como tomar remédio de dor abortivo dez ou mais dias por mês durante pelo menos três meses.

 Como é a dor de cabeça do uso excessivo de medicação?

A apresentação do MOH pode variar dependendo do distúrbio primário da dor de cabeça de cada paciente e do tipo de medicamento abortivo que está sendo administrado. 

Que medicamentos são culpados?

Qualquer medicamento abortivo pode causar o MOH quando usado mais de dez a quinze dias por mês. Esses medicamentos incluem analgésicos, anti-inflamatórios, medicações combinadas (comprimidos com várias substancias), derivados de morfina. 

Qual o tratamento para dor de cabeça por uso excessivo de medicação?

O tratamento tradicional é parar de tomar a medicação abortiva ofensiva. Suas dores de cabeça podem piorar inicialmente, mas sua intensidade diminuirá na maioria dos pacientes. Existem várias maneiras de facilitar esta transição, incluindo iniciar ou adicionar uma medicação preventiva para reduzir a freqüência de dor de cabeça, realizar bloqueio anestésico, botox para migranea e adicionar opções de terapias não-farmacológicas como estimulação magnética transcraniana e  tratamentos comportamentais como terapia cognitivo-comportamental ou biofeedback.