Blog

Artigos, notícias e publicações
Home  /  Blog

Dor após Herpes: Neurite Herpética

24 de março de 2018
A Catapora ou varicela é uma doença conhecida da maioria das pessoas.  O que pouca gente sabe é que depois da cura, o seu vírus causador permanece no organismo e, depois de anos, pode voltar a incomodar, provocando a Herpes Zoster. Em alguns casos, a dor causada pelo Herpes Zoster pode durar meses e até anos: trata-se da Neuralgia Pós-Herpética. A Herpes-Zóster acontece a partir de uma reativação do vírus da varicela. Esta reativação está relacionada, principalmente a fatores como: idade avançada, uso de terapia imunossupressiva (Radioterapia, Quimioterapia), ou uma redução intensa na imunidade, devido a doenças como Leucemia, Linfoma e HIV, ou relacionada ao estresse. O quadro clínico começa com dores, parestesia (sensações de frio, calor, formigamento ou pressão sem estímulo causador), ardor e coceira e evolui para lesões da pele. As erupções cutâneas costumam seguir o trajeto de um nervo específico. Mais da metade dos casos acontece na região torácica (53%), mas também há certa incidência na região cervical (20%), na região do nervo trigêmeo (15%) e na lombossacral (11%). Geralmente, a Herpes Zoster evolui para a cura em algumas semanas, porém, em alguns casos (aproximadamente de 9 a 34%), o quadro de intensa dor persiste. Essa condição de dor persistente, que pode durar por meses ou até anos, é chamada de Neuralgia Pós-Herpética. O tratamento mais eficaz costuma se basear principalmente em dois recursos: medicações (como os analgésicos, os antidepressivos e os anticonvulsivantes) e os procedimentos minimamente invasivos tais como a aplicação local de toxina botulínica.  

Dores nas costas

12 de março de 2018
A dor nas costas é uma das razões mais comuns pelas quais as pessoas procuram um médico, só perdendo no Brasil para a hipertensão arterial. Atualmente é uma das principais causas de incapacidade em todo o mundo. Como prevenir? É possível previnir e aliviar a dor nas costas. Uma postura adequada, evitar a sobrecarga de peso e atividades de fortalecimento muscular podem ajudar a previnir degenerações discais e articulares. Sinais e sintomas de dor nas costas podem incluir: – Dor muscular – Dor que irradia para a sua perna – Flexibilidade limitada ou amplitude de movimento das costas limitada por dor – Dor tipo choque, queimação ou pressão Quando consultar um médico? A dor nas costas melhora gradualmente com o tratamento domiciliar e o autocuidado, geralmente dentro de duas semanas. Caso contrário, consulte o seu médico. Procure cuidados imediatos se a dor nas costas: – Provoca novos problemas no intestino ou na bexiga – Está acompanhada de febre – Ocorre após queda, golpe nas costas ou outro ferimento – Espalha para uma ou ambas as pernas, especialmente se a dor se estende para baixo do joelho – Causa fraqueza, dormência ou formigamento em uma ou ambas as pernas – É acompanhado por perda de peso inexplicada – Dor nas costas pela primeira vez após a 50 anos, ou se você tem história de câncer, osteoporose, uso de esteróides ou abuso de drogas ou álcool.

Psicologia

12 de março de 2018
As dores crônicas se caracterizam por um estado patológico, que produz alterações psicológicas irreversíveis e requer um longo processo de reabilitação, observação, controle e cuidados. A psicologia contribui para ajudar esse paciente a manter o equilíbrio e entender o funcionamento dos conflitos enfrentados devido a patologia vivenciada. É papel do psicólogo oferecer ao paciente instrumentos terapêuticos para ajudá-lo a diminuir seu sofrimento e ter uma compreensão mais ampla sobre sua desorganização psíquica e encorajá-lo a criar novas possibilidades de enfrentamento. Pacientes com dor crônica se associam a maior risco de depressão, ansiedade, bipolaridade e com maior índice de suicídio. Apoio psicológico através da terapia comportamental cognitiva já se mostrou benéfica em múltiplos estudos. Psicóloga: Professora Doutora Maria de Lourdes Turbino Neves

Nutrição

12 de março de 2018
O nutricionista é um profissional da área da saúde capacitado a atuar visando à segurança alimentar e à atenção dietética. Estuda as necessidades nutricionais de cada paciente visando a promoção, manutenção e a recuperação da saúde. O atendimento clínico é realizado individualmente. No caso das dores de cabeça, o nutricionista faz um diagnóstico nutricional específico e assim é capaz de elaborar uma dieta que possa evitar alimentos que sejam desencadeantes da dor, bem como repor vitaminas e nutrientes que podem estar em carência, causando e também perpetuando os ciclos de dor. Este profissional promove a educação alimentar, orienta o paciente sobre como combinar os alimentos, o que deve ser priorizado na alimentação e o que deve ser evitado, permitindo uma readequação alimentar específica.

Fisioterapia

12 de março de 2018
Fisioterapia na Cefaleia do tipo Tensional A fisioterapia na Cefaleia Tensional (CT) consiste na inibição do ciclo de impulsos neurais que estimulam a contração involuntária da fibra muscular, principalmente na musculatura anti-gravitacional. Outros fatores agravantes para CT são as manutenções da má postura, gestos repetitivos, problemas cervicais, alterações da ATM, alteração no padrão respiratório, atividade física com carga inadequada, distúrbios psicossomáticos (ansiedade, estresse, depressão, fobias), distúrbios hormonais, uso de medicamentos inadequados, entre outros. O tratamento fisioterápico tem como objetivo interromper o ciclo de ativação do impulso neuromuscular que leva a dor e espasmos muscular local, através de eletrotermofototerapia (TENS, terapia combinada, ultrassom, laserterapia), acupuntura (local e sistêmica), estabilização segmentar cervical, controle motor da região escapulo torácica e cintura escapular, trabalho postural global, exercícios terapêuticos local e global. Fisioterapia na Enxaqueca O papel da fisioterapia na Enxaqueca tem como objetivo, minimizar as causas e consequências que geram incapacidade das atividades de vida diária e físico funcional, tais como: trabalho, atividades domiciliar, relações interpessoais, sono, atividades física, sociabilidade, desempenho geral. O tratamento consiste em diminuir o ciclo da dor e suas complicações associadas (ansiedade, depressão, estresse, distúrbios visuais, tontura, vômitos, alterações gastrointestinais, alterações musculoesquelética e posturais, entre outras). O protocolo varia de acordo com a intensidade e frequência da enxaqueca e também ao tratamento clinico e medicamentoso proposto. As condutas terapêuticas utilizadas são: eletroterapia analgésica (TENS), terapia Manual, exercícios terapêuticos, técnicas posturais e controle motor. OBJETIVOS DA FISIOTERAPIA NAS DORES DE CABEÇA: – Reduzir a frequência e intensidade da dor; – Identificar disfunções musculoesquelética que contribuem para o ciclo da dor; – Ajudar a melhorar a gestão da dor no dia-dia; – Desenvolver e Personalizar um programa de exercícios; – Melhorar a tolerância para Atividades de vida Diária, trabalho e domiciliar;   Fisioterapeuta: Rodrigo Cezar Aguiar de Lorena Especialista em avaliação músculo esquelética pela Santa Casa de Misericórdia de SP Aprimoramento em coluna pela Santa Casa de Misericórdia de SP

Fonoaudiologia

12 de março de 2018
As alterações do equilíbrio do corpo podem manifestar-se de várias maneiras, dentre elas: sensação de tontura, desequilíbrio, instabilidade, desvio da marcha ao andar, dificuldade de fixação do olhar, acompanhadas ou não de náuseas ou vômito. A enxaqueca pode acometer uma área cerebral chamada de sistema vestibular, que pode cursar com estes sintomas. A enxaqueca vestibular apresenta desde vertigem/tonturas até sintomas auditivos como zumbido e sensação de ouvido tapado. A reabilitação vestibular consiste em um tratamento feito com exercícios de compensação vestibular, habituação cerebral e manobras de reposicionamento. A reabilitação vestibular pode tratar diversas doenças, como enxaqueca vestibular (migrânea vestibular), VPPB (vertigem posicional paroxísica benigna), hipofunção vestibular unilateral ou bilateral, síndrome de Menière, dentre outras disfunções centrais ou do labirinto. Hoje em dia, esse tratamento tem sido considerado um dos métodos mais efetivos para tratar o paciente que sofre de tontura, sendo que 90% dos pacientes se beneficiam dessa técnica. O sucesso do tratamento depende da cooperação do paciente e de sua participação de forma ativa, o que leva a um resultado mais satisfatório e melhora na qualidade de vida A conduta do tratamento depende da queixa de cada paciente, sendo preparado um plano terapêutico individualizado para cada um, normalmente acontecendo em sessões semanais no consultório e realização de exercícios diários em casa. Fonoaudióloga- Carolina Caverni Fonoaudióloga pela UNIFESP-SP, Especialista em Audiologia Clínica

O botox® e a enxaqueca

9 de março de 2018
Em 2010 a Food and Drug Administration (FDA) nos USA aprovou o uso de Botox ou onabotulinumtoxin A, para o tratamento da enxaqueca crônica, uma condição médica que afeta cerca de 3,2 milhões de americanos.

Dicas de especialista

9 de março de 2018
FAÇA UM DIÁRIO DE ENXAQUECA A melhor maneira de descobrir quais alimentos causam suas enxaquecas é manter um controle cuidadoso do que você come. Só porque você come um alimento antes de uma enxaqueca não significa necessariamente que foi a causa. É importante ver e analisar a repetição de padrões. 1- CHOCOLATES É muitas vezes considerado como um gatilho, pois já se sabe do seu potencial em causar dor em múltiplos estudos. 2-CAFÉ Café pode ser bom e ruim. Um copo ocasional – uma ou duas vezes por semana – pode ajudar a prevenir enxaquecas. Mas se você tem um hábito de cafeína diária, ingestões múltiplas ou em grandes doses, isso sim pode piorar sua dor de cabeça. 3- GLUTAMATO MONOSSÓDICO Tempero de cozimento asiático, encontrado em alimentos e como forma de tempero alimentar, concede um sabor extra aos alimentos, mas também podem desencadear a dor. 4- CERVEJA Cervejas no formato de chopp contém a substancia chamada de tiramina, também encontrada nas cervejas de garrafa mas em menor quantidade. A tiramina é um potencial causador de dores da enxaqueca. 5- VINHO TINTO Uvas do tipo tannat, cabernet sauvignon, malbec e merlot mostraram ser desencadeantes da dor. O motivo recairia sobre as altas concentrações de flavonoides. 6-QUEIJOS Você gosta de queijo cheddar, brie, gorgonzola ou outros tipos envelhecidos com cheiro forte e coloração amarela escura? São alimentos susceptíveis a níveis elevados de tiramina, uma substância ligada diretamente as crises de enxaquecas. Queijos mais leves, como mozzarella, ricotta e o queijo minas, que possuem prazo de validade pequena e com coloração mais clara não possuem essa substäncia. 7- SALAMES E EMBUTIDOS Carnes curadas também são elevados em teor de tiramina, por isso, se você anseiam um pedaço de carne vermelha, prefira um hambúrguer ou bife. 8- JEJUM PROLONGADO Se alimentar a cada 2-3 horas é ideal para pacientes com enxaqueca. O estado de jejum é um gatilho importante para desencadear sua dor.

Use a fisioterapia ao seu favor

20 de fevereiro de 2018
O que são os pontos gatilho? São áreas no músculo que são muito irritáveis,  e quando pressionadas, produzem uma contração dolorosa no músculo afetado. Um ponto de gatilho pode produzir não apenas dor no músculo afetado, mas em uma área distante, incluindo locais na cabeça e no pescoço, chamada dor referida. Os pontos de gatilho podem se desenvolver devido a trauma, lesão, inflamação ou outros fatores.  Os pontos de gatilho podem causar dores de cabeça ou desencadear enxaquecas?  Os pontos de disparo dentro dos músculos da cabeça, do pescoço e dos ombros podem causar dor de cabeça por si só, e esse tipo de condição é muitas vezes chamada de dor miofascial. Além disso, os pontos de gatilho podem estar presentes em pacientes com transtornos de enxaqueca, cefaleia do tipo tensão, pós-traumático e outros distúrbios de dor de cabeça e podem estar piorando ou perpetuando fatores para a condição de dor de cabeça subjacente.

Acupuntura: encontre uma combinação de agulhas

8 de fevereiro de 2018
Quando a medicina tradicional não ajuda a aliviar sua dor de cabeça, muitos pacientes exploram outros métodos de tratamento. A acupuntura foi desenvolvida na China antiga e envolve o agulhamento de áreas específicas do corpo para aliviar a dor

O que é neuromodulação?

8 de fevereiro de 2018
Um conceito relativamente novo no tratamento da enxaqueca é o uso de dispositivos de neuromodulação. Esses dispositivos às vezes são chamados de estimuladores, embora muitas vezes reduzam a atividade do cérebro em vez de estimulá-la. Os dispositivos de neuromodulação podem ser elétricos, de temperatura ou magnéticos, e, embora possam ser portáteis, alguns requerem colocação cirúrgica. No momento, existem três dispositivos não invasivos de neuromodulação que foram aprovados pela FDA para dor de cabeça e já não são considerados experimentais. Cada um deles é rotulado pela FDA como “risco mínimo”, o que significa que nenhum efeito colateral significativo é conhecido ou esperado.  O único disponível no Brasil para colocação externa é o Cefaly, que é colocado temporariamente na testa e ativado diariamente por 20 minutos para prevenir a enxaqueca. O estudo que levou à aprovação da FDA mostrou que um número significativo de pacientes com enxaqueca que usavam o dispositivo diariamente durante a quantidade designada de tempo apresentaram pelo menos uma diminuição de 50% nos dias de dor de cabeça.  O dispositivo Cefaly atua eletricamente no nervo trigemio, tratando a via de dor. O sinal é transmitido ao cérebro passando pelas vias causadoras da dor de cabeça, resultando assim em menos dias de dor.

Convivendo com as dores de cabeça

6 de fevereiro de 2018
 A enxaqueca é uma doença incapacitante. Pode ser extremamente dolorosa e não há cura! Há uma forte associação genética. – Está entre as 10 doenças mais debilitantes do planeta. – Vários estudos mostraram um aumento relativo do risco de AVC em mulheres jovens com enxaqueca em comparação com pessoas sem enxaqueca com menos de 45 anos. – Todos os anos, nos Estados Unidos, 113 milhões de dias úteis são perdidos por causa da enxaqueca (no momento não há estudos no Brasil). – Existem mais de 100 diferentes tipos de dores de cabeça, assim uma visita a um especialista em dor de cabeça é essencial. – Quando sua enxaqueca é debilitante, ela pode afetar suas condições no trabalho, gerando dificuldade de concentração e menor rendimento intelectual, além de predispor ao aparecimento de transtornos psiquiátricos. – A enxaqueca está fortemente associada a ansiedade e distúrbios do humor, alergias, dor crônica e epilepsia. – A presença de ansiedade na infância está associada com o desenvolvimento da dor de cabeça durante a fase de adulto jovem. – Vômitos recorrentes, sonambulismo e tontura durante a infância são considerados “equivalentes migranosos” e podem anunciar o desenvolvimento de enxaqueca posteriormente. – A relação entre os sexos na enxaqueca permanece estável em 2-3 mulheres para cada homem e é geralmente consistente entre os países. – O predomínio da enxaqueca no sexo feminino inicia-se na puberdade, com mulheres tendo um risco 1,5 maior para desenvolver dor de cabeça e 1,9 vezes maior para desenvolver enxaqueca quando comparadas com crianças e adolescentes do sexo masculino. – A distribuição da enxaqueca do tipo tensional é igual entre os sexos. – Não é incomum que pacientes com enxaqueca percebam que seus sintomas aparecem após a ingestão de alguns alimentos. Há alimentos que sabidamente podem precipitar crises e outros que individualmente podem ser agentes causadores. – Sua enxaqueca está se tornando mais intensa ou frequente? É sinal de que você precisa de tratamento!